Porque foto de comida não é tudo igual!

Olá, tudo bem com você?


Começaremos hoje uma série de textos que contarão um pouquinho mais sobre o nosso universo, incluindo alguns conceitos.

Então lá vai: quando se fala em fotografia de alimentos, o que vem à sua cabeça? A imagem de um prato bonito e apetitoso, certo? Mas a prática vai além disso e se divide em Fotografia de Alimentos, Fotografia de Gastronomia, Fotografia de Produtos Ambientada e Fotografia Still.


No caso da Fotografia de Alimentos, que vamos falar hoje, temos basicamente “a comida” em si, onde seu estado de matéria prima e frescor são o ponto de destaque. Imagens de carne in natura (crua), vegetais, frutas frescas e grãos são só alguns dos exemplos.


As imagens podem ser usadas na composição de artes, em catálogos, guias nutricionais, jornais de ofertas de açougues, supermercados etc, por terem forte caráter ilustrativo. As fotos sempre devem ser tiradas com boa iluminação e claro, com alimentos de qualidade e procedência, especialmente se estiverem atrelados à uma marca.


Outro exemplo muito bacana, que inclui esse tipo de imagem, é a sua utilização em campanhas de cunho social e ambiental. Quer um exemplo? Então imagine uma campanha de incentivo à uma alimentação saudável com vegetais vistosos, maçãs vermelhinhas e folhas fresquinhas. É ligar o #partiucuidardasaúde na certa, né?


E aí, gostou do assunto? Então fique ligado no nosso blog porque semana que vem tem mais!


Até lá!

11 visualizações0 comentário